Diabetes e Digestão

O que é o diabetes?

Diabetes é uma doença crônica caracterizada pela não produção de insulina ou a sua baixa utilização pelas células do nosso organismo.

A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas e que regula o metabolismo da glicose em nosso corpo.

 

Tipos de diabetes

Há basicamente dois tipos de diabetes.

Diabetes Tipo I

Neste subtipo, mais comum em crianças e adolescentes, o pâncreas não produz a insulina devido a uma lesão sofrida em suas células pelo sistema imunológico. Logo, a glicose fica elevada e o nível de insulina fica reduzido. É uma doença que tem forte influência genética.

Diabetes Tipo II

Este subtipo surge quando o organismo não consegue usar adequadamente a insulina que produz e por tal motivo tende a produzir mais como reflexo aos níveis crescentes de glicose. Ela se manifesta mais frequentemente em adultos. Nestes casos, a glicemia e a insulina podem estar elevadas.

É o subtipo comum entre pacientes obesos ou pacientes que fazem uso de corticóide por tempo prolongado.

 

E qual a relação do diabetes e do sistema digestivo?

As glicemias elevadas, comuns em pacientes diabéticos, causam lesões em pequenos vasos do corpo e na inervação de diversos órgãos.

Feridas nos pés, lesões na retina e nos rins são complicações que podem ocorrer no diabetes.

Estas mesmas lesões ocorrem também no sistema digestivo. Sensação de empachamento precoce ao se alimentar podem acontecer. É o que se chama de gastroparesia.

Os intestinos ficam com a sua movimentação alterada e estes pacientes podem ficar constipados ou mesmo apresentarem diarreia.

A flora bacteriana se modifica, ou pela alteração da movimentação intestinal ou pela dieta rica em carboidratos simples.

Uma patologia chamada de supercrescimento bacteriano de intestino delgado se instala e a absorção de nutrientes fica prejudicada. Esta síndrome pode também causar diarreia e desnutrição.

 

E o que fazer nestas situações?

Sempre o melhor remédio é a prevenção. Alimentação saudável e atividades físicas para manutenção da composição corporal adequada é a recomendação primordial.

A normalização dos níveis de glicemia é mandatória. Além da alimentação com baixos níveis de sacarose, lança-se mão do uso de medicamentos hipoglicemiantes e da insulina.

É importante ressaltar que, em grande parte das situações, tais complicações, inclusive as digestivas, instalam-se quando o controle do diabetes é negligenciado.

O controle dos sintomas das complicações digestivas pode ser difícil. O uso de medicamentos procinéticos (reguladores das contrações – peristaltismo – intestinais), fibras e probióticos é indicado.

É sempre importante ressaltar a necessidade do acompanhamento médico e nutricional. Parte diferencial neste tratamento é a conscientização do paciente acerca de sua doença. Sem a sua cooperação e o seu entendimento, o bom controle glicêmico e o bem estar jamais serão atingidos.

Comentários
Dr. Juliano Antunes

Posted by Dr. Juliano Antunes